Take a fresh look at your lifestyle.

O que é a ostra? Prende o intestino ou não?

A ostra pertence ao grupo dos moluscos bivalves, e por serem desse tipo, elas são capazes de gerar pérolas, mas também são muito nutritivas. Comê-las é um hábito muito comum em regiões de praia, mas afinal, a ostra prende o intestino ou solta? Entenda a seguir!

O que é a ostra e sua origem?

A ostra é um molusco, um animal de origem aquática do grupo chamado bivalve, onde elas possuem suas conchas divididas por duas valvas. Ela é considerada um animal filtrador, possui aparelho digestório completo, sua estrutura é mole, envolta por um manto, contudo, ele é protegido por duras conchas.

O que é a ostra e sua origem
Fonte/Reprodução: original

A ostra pode ser consumida pelos seres humanos, mas cuidados na hora de comê-la são muito necessários.

Quais os benefícios das ostras?

Os benefícios da ostra são muitos, pois ela é rica em nutrientes, fonte de ferro, ômega 3, cálcio e até mesmo nas vitaminas C e D.

Um dos minerais mais significativos encontrado é o ferro, onde ao consumir 100g de ostras você já possuirá entre 5g a 9g desse mineral, o que é ótimo para indivíduos que lutam contra a anemia.

Um outro nutriente que vale mencionar é o ômega 3, pois como todo fruto do mar, a ostra também dispões de uma boa quantidade desse ácido graxo, que é muito eficaz quando o assunto é regular a pressão arterial, diminuir o colesterol, o que é essencial para se ter um coração saudável.

A ostra também possui uma abundância de cálcio, esse mineral é ótimo para a saúde dos ossos e dos dentes.

Quem pode consumir ostras?

O consumo de ostra é ótimo para qualquer pessoa que deseja uma alimentação nutritiva. Mas, existem restrições para o consumo desse alimento, principalmente para pessoas que possuem alergia a frutos do mar e também para as grávidas, por conta do perigo de pegar toxoplasmose, que nada mais é do que uma infecção causado por um parasita.

Quem pode consumir ostras
Fonte/Reprodução: original

Esse parasita pode causar muitas complicações para as gestantes, por conta do baixo sistema imunológico, não causa danos graves nas mães, mas pode ser fatal para os bebês. Por isso, não é recomendado o consumo de ostra para gestantes.

A ostra prende o intestino?

Não, o consumo de ostra não prende o intestino, muito pelo contrário, há risco de soltar até demais. Como assim? O consumo de ostra crua, por exemplo, pode levar a pessoa a desenvolver quadros de infecção, o que gera diarreia, náuseas, febre, vômitos em casos que pode até levar a óbito.

Quais cuidados ter no consumo da ostra?

A ostra, como ela é considerada um animal filtrador e bioacumulador, ela absorve e retém todo tipo de organismo que passa por ela, e isso inclui substâncias tóxicas e perigosas para o ser humano, como pesticidas e metais pesados. Essa capacidade de acumular substâncias perigosas é tão poderosa que o nível acumulado pode ser maior nela do que na própria água.

Com isso, é muito importante saber a procedência do ambiente em que as ostras se desenvolveram, em águas não contaminadas, longe de lugares com risco de poluição e altas taxas de substâncias tóxicas.

Então, evitar consumir ostra em lugares onde não se sabe a procedência dela é muito importante, assim como averiguar que ela esteja num lugar muito bem refrigerado, em condições legais de conserva. Até porque, mesmo que você não a consuma in natura, mas assim faça de forma cozida, não é garantia de que as possíveis substâncias tóxicas acumuladas nela sejam eliminadas.

Outra forma de cuidado é fazer a ostra passar por um processo chamado cocção prévia, onde vírus, bactérias e protozoários podem ser eliminados.

A ostra sem dúvidas é um alimento muito nutritivo, mas é importante saber se ela está própria para o consumo. Dessa forma, é essencial comprar ou consumir em lugares que respeitam as normas sanitárias e a conservação desse tipo de alimento.

Comments are closed.